domingo, 1 de Março de 2009

Sobrinho Antes de ser Ferido da Tia Gorda

Boa noite a todos!

Eu sou o Sobrinho Preferido da Tia Gorda e, como todos os outros sobrinhos, tenho histórias da Tia que me marcaram eternamente, histórias essas que vou relatar num futuro próximo aqui no blog.

Desde pequeno, desde muito pequeno, que me pergunto o porque de ser o Preferido da Tia Gorda, toda a vida foi a mim que ela chamou Preferido. Mas hoje finalmente entendo o porque desse nome, hoje tudo faz sentido, acabaram-se as dúvidas. Tudo isso é culpa daquele homem vestido de branco, aquele homem que quando eu era pequeno me tentou afogar e que desde então me aparece nos meus piores pesadelos, aquele homem que disse, na aquela voz aterradora dele: "Em nome de Deus baptizo-te com o nome de Preferido!".
É claro que durante algum tempo achei que o facto de ser o sobrinho Preferido da Tia fosse por termos gostos parecidos, como, por exemplo, ambos gostarmos de usar bigode, mas afinal de contas essa não é a razão e isso não passa de uma feliz coincidência.

Apesar de tudo, não são apenas coisas boas que marcaram a minha relação e a dos meus primos com a Tia Gorda. Lembro-me de um episódio quando o nosso Tio Gordo ainda vivia connosco, aliás, este é o último episódio.

O nosso Tio sempre teve uma relação dificil com a minha Tia, assim como toda a gente, não por culpa dele, mas porque ela é uma pessoa de difícil trato, digamos assim. Ele gostava muito dela, mas sofria imenso nas mãos daquela imensa gordura a que nós gostamos de chamar Tia: ela batia-lhe! E batia a sério, era mesmo para aleijar! Mas ela era muito esperta... Sempre que lhe queria bater novamente, fosse pelo Roberto não ter beijado a Dora na novela das 6 ou por o Rio Ave, clube do coração da Tia, ter perdido (o que não acontece também assim TANTAS vezes como parece...), ela levava-o para a rua, mesmo para o meio, e para que? Para não a poderem acusar de violência doméstica... "Ah, era fora de casa, isso não é doméstico...". Mas um dia o nosso Tio fartou-se, e fugiu de casa, abandonou-nos com a Tia Gorda e partiu em busca da felicidade. Mas coitado, não foi longe... Assim que foi para atravessar a rua em frente à nossa casa, foi atropelado pela carrinha que transporta os deficientes. Por acaso é engraçado que agora é essa mesma carrinha que o leva às quintas para a hidroginástica...

Por hoje é tudo, caros amigos (nao sou grande apreciador dos baratos), até à próxima!

Sobrinho Preferido

Sem comentários:

Enviar um comentário